5 de mar de 2010

Criando motivos.

De uma maneira mais amena eu sigo as tentativas que me dou. A morte é necessária, mas os abortos são fundamentais. Queria colocar uma música, uma sonoridade que traduzisse ca-mu-fla-da-men-te, o que sinto e sou, ou estou.

Procuramos partes, incessantemente, e para compor um todo que julgamos coerente, um contexto desconhecido de partes imaginadas, porque as vividas, queridas por isso vividas, consideramos pouco demais, parte pequena, quase desnecessária.

Queria comemorar uma auto-bodas, bodas de pretexto, criar um tipo de alegria pro que sou, contentar o ao redor com boa conduta, escrever um texto contente, uma alegria em palavra, coisa tola a minha, mas como o Caio diria - eu queria tanto que alguém me amasse por alguma coisa que escrevi.

Me leia, perceber-me, também é uma coisa que tento, me atento.



2 comentários:

  1. Junior, delicadeza e profundidade a um só tempo. É o que sentimos ao ler esse teu singelo texto. Fico muito contente por estares tentando, mas tentando com força, caianamente: ser feliz! - Bjo em seu coração

    ResponderExcluir
  2. Poxa querido, obrigado, de coração :]

    ResponderExcluir